Paranhos autoriza início de estudos para implantação da Clínica-Escola do Autista de Cascavel

"Um ato pioneiro em todo o Brasil, de humanidade e de sensibilidade", assim foi classificada por Berenice Piana - coautora da Lei Federal nº 12.764/2012, que institui a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista - a assinatura do prefeito Leonaldo Paranhos autorizando o início dos estudos para a criação da Clínica-Escola de Autistas em Cascavel, ato que abriu, nesta tarde (13), o evento que apresentou o projeto que é modelo em duas cidades do Rio de Janeiro e em Santos (SP), no auditório da Prefeitura de Cascavel.

"Nenhum prefeito fez isso numa primeira apresentação e o senhor, Paranhos, acreditou nesta proposta, pela sensibilidade do seu coração. É uma luta histórica reconhecer os direitos da pessoa com transtorno do espectro autista e nós só temos que agradecer a abertura que estamos tendo em Cascavel e a humanidade com que fomos recebidos nesta cidade", enfatizou Berenice, que é embaixadora da Paz pela ONU e União Europeia, título reconhecido pelo Ministério das Relações Exteriores.

A Lei Berenice Piana reconhece o autismo como uma deficiência, estendendo aos autistas, para efeitos legais, todos os direitos previstos para pessoas com algum tipo de deficiência. Mãe de três filhos, sendo o caçula autista - o que motivou a luta em defesa das pessoas com esse transtorno - Berenice veio a Cascavel a convite do  Caut (Centro de Apoio, Convivência e Defesa dos Direitos de Autistas de Cascavel) e com apoio da Apae partilhar o projeto por ela idealizado e implantado em Itaboraí, no Rio de Janeiro em abril de 2014. A Clínica-Escola do Autista do Brasil também já foi implantada em São Gonçalo este ano, e a Santos está pronta para ser inaugurada.

Hoje (14), "em nome da população de Cascavel, peço que Berenice possa continuar nos ajudando a implantar este modelo, nos orientando e nos mostrando o melhor caminho a seguir de fato, pois se queremos ser uma cidade inteligente, temos que ter  investimentos no ser humano", acentuou o prefeito.

Ele contextualizou, citando os mais de 30 mil alunos da rede municipal de ensino, dentre os quais cerca de 600 contam com PAP (Professore de Apoio Pedagógico) capacitado para acompanhar alunos com necessidades especiais em sala de aula. "Não é fácil para o gestor resolver sozinho este tema e a Berenice, como mãe que tanto batalha nesta causa, pode nos auxiliar a tornar melhor. Hoje nós temos uma rede capacitada, um serviço de boa qualidade, mas queremos ir além, pois todos nós queremos inclusão. E esta clínica-escola pode contribuir de forma a encaminhar para as nossas escolas um aluno mais preparado para uma vida inclusa dentro da sala de aula e também na família, de forma que esta também tenha orientação desde a melhor alimentação até as atividades adequadas", continuou o prefeito.

Já prevendo a instalação do novo ambiente até o fim do ano, o prefeito autorizou a abertura de um chamamento público para definir a entidade por meio da qual se possa contratar uma equipe multidisciplinar, incluindo fisioterapeuta, fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional, psicopedagogo, nutricionista e neuropediatra, entre outros, assim como um espaço em que os pais e profissionais possam definir para locação.

"Será uma escola da cidade e não da Educação. Uma escola para o autista, com administração compartilhada entre Caut, Saúde, Educação, Assistência Social, nos moldes da Apae, com repasse de recursos. Não queremos apenas um espaço físico para  cumprir algo protocolar. Queremos, de fato, um programa, uma ferramenta que cumpra o atendimento multidisciplinar e especializado, visando à inclusão e à garantia do direito do autista", detalhou o prefeito.

Via: Portal do Município de Cascavel - Foto: Divulgação

Postar um comentário:

Tecnologia do Blogger.