Fórum buscar novos caminhos para superar a violação dos direitos das crianças e adolescentes

Em alusão ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, que em todo o Brasil é lembrado em 18 de maio, o Município de Cascavel ampliou este ano o debate ao enfrentamento e combate a esses crimes. O dia 18 de maio foi instituído pela Lei Federal nº 9.970/2000, 27 anos após o "Caso Aracelli" ter chocado o País. A menina capixaba, de Vitória (ES) foi sequestrada, espancada, estuprada, drogada e assassinada numa orgia. O corpo só foi encontrado seis dias depois do fato, desfigurado por ácido. Os agressores jamais foram punidos.

No XVII Fórum da Assistência Social, realizado no auditório da Unipar na tarde desta quarta-feira (15), participaram profissionais da área, servidores da Seaso (Secretaria de Assistência Social de Cascavel), o prefeito Leonaldo Paranhos, o secretário de Assistência Social Hudson Moreschi Júnior, o delegado da Polícia Federal, Marco Smith, e a delegada do Nucria, Bárbara Strapasson.

O Fórum Municipal tratou do enfrentamento ao abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes do Município de Cascavel. "A criança e o adolescente precisam se sentir seguro, principalmente entre a sua família. A criança não pode sentir medo. E o trabalho que é feito para garantir a elas seus direitos é de suma importância. A Secretaria de Assistência Social precisa ter um prédio físico, mas o mais importante são os profissionais que dão atendimento às pessoas. O maior patrimônio que temos são as pessoas e se a gente não tiver um planejamento de tudo aquilo que precisamos fazer, não tem sentido nosso trabalho", disse o prefeito Leonaldo Paranhos.

Hudson Moreschi destacou a importância de erradicar o abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes. "Não é uma tarefa simples, pois muitas dificuldades precisam ser enfrentadas e a principal delas é o acolhimento quando a criança ou adolescente tem dentro de casa, no próprio pai, padrasto ou qualquer outro parente a figura do seu agressor. Quando detectamos estes casos, nossos profissionais procuram acolher estas crianças para garantir a elas a segurança que precisam para sair desta situação de violência", disse o secretário.

Moreschi ainda chamou a atenção para o "preconceito da sociedade frente às crianças e adolescentes em situação de exploração transformando vítimas em infratores é outra situação que precisa ser enfrentada". Segundo ele, "o desconhecimento das características e dimensões dos problemas, a debilidade das políticas de proteção à infância e adolescência; a impunidade dos exploradores, o silêncio e o alto nível de tolerância social ao problema, também são fatores que contribuem para dificultar o enfrentamento dos abusos".

O XVII Fórum Municipal de Enfrentamento ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes tem o objetivo de estimular o debate para o avanço na descoberta de novos caminhos para superar a violação dos direitos das crianças e adolescentes. A abertura do evento foi marcada pela apresentação de uma peça teatral adaptada da história "O segredo da Tartaninina", pelas crianças do Projeto Eureca I.

Via: Redação/Portal do Município de Cascavel - Foto: Divulgação

Envie para o nosso Whatsapp a sua sugestão de fotos ou videos, que a equipe nossa irá atender você. (45) 9.8812-8476 ou Entre no nosso grupo do WhatsApp: https://goo.gl/WjuzHP.

Postar um comentário:

Tecnologia do Blogger.