CMC: Proibição de canudos em Cascavel busca reduzir consumo de plástico

Apresentada pelos vereadores Fernando Hallberg, Romulo Quintino, Bocasanta, Nadir Lovera, Celso Dal Molin, Misael Júnior, Mauro Seibert, Josué de Souza, Rafael Brugnerotto, Serginho Ribeiro e Policial Madril, o Projeto de Lei 37/2019, proíbe de fornecimento de canudos confeccionados em material plástico. A matéria foi aprovada por unanimidade nesta segunda-feira (13) e conforme explicam os vereadores, seu objetivo não é apenas banir os canudos, mas reduzir o consumo de plástico de maneira geral e chamar a atenção para políticas públicas de conservação ambiental.

O vereador Rafael Brugnerotto afirmou, “a população pode questionar se não temos mais o que fazer aqui na Câmara, mas esse pensamento simplista precisa acabar. Estamos querendo mudar uma cultura, nós somos todos corresponsáveis pelo meio ambiente e por pensar em novas formas de consumo consciente”, Rafael.

O projeto proíbe que os estabelecimentos comerciais que vendem bebidas para consumo no local ofereçam a seus clientes canudos de material plástico. Conforme explicam os vereadores, os objetivos da lei são garantir a proteção, preservação e conservação do meio ambiente; despertar a consciência ambiental nas atuais e futuras gerações; estimular a mudança prática de atitudes e a formação de novos hábitos com relação ao meio ambiente; desenvolver um meio ambiente ecologicamente equilibrado e promover campanhas educativas sobre a proibição dos canudos plásticos.

“A questão do uso do canudinho plástico é mais uma questão cultural, do que realmente uma necessidade do cidadão”, afirma Serginho Ribeiro. Como explica o vereador, “basta cada um se perguntar: quantas vezes em sua residência você pega um copo e um canudinho plástico para acompanhar a ingestão de um simples copo de água, ou mesmo de um suco? Se o uso do canudinho não é necessário nas residências, por que tem que ser necessário fora de casa? ”.

Com a perspectiva de ter mais plástico nos oceanos do que peixes em 2050, o descarte de canudos se tornou um emblema do movimento pelo banimento do plástico de uso único. Um canudo leva até 500 anos para se decompor na natureza e é uma das principais ameaças aos animais marinhos.

Os comércios que forem flagrados descumprindo a lei sofrerão as seguintes penalidades: advertência e intimação para cessar a irregularidade no prazo de 15 quinze dias; permanecendo a irregularidade, multa no valor de 28 Unidades Fiscais do Município - (UFM), hoje equivalentes à R$ 1227,80 e em caso de reincidência, o valor da multa prevista será aplicado em dobro. A lei entra em vigor 180 dias após a sua publicação oficial.

Via: Redação/Assessoria de Imprensa/CMC - Foto: Flavio Ulsenheimer

Envie para o nosso Whatsapp a sua sugestão de fotos ou videos, que a equipe nossa irá atender você. (45) 9.8812-8476 ou Entre no nosso grupo do WhatsApp: https://goo.gl/WjuzHP.

Postar um comentário:

Tecnologia do Blogger.