Cartão Vida Nova: "Bom seria se não precisássemos estar aqui assinando este convênio"

"O bom seria se não precisássemos estar aqui assinando este convênio. Bom seria se não tivéssemos famílias doentes por conviverem com este problema tão crônico que é a droga, pois só quem passa por isso, quem tem uma pessoa em casa dependente, sabe a dificuldade, pois é um problema que vai matando a família aos poucos. É um grave problema social. E os governos não têm tratado este tema como deveriam. Por isso estamos fazendo a nossa parte, buscando meios de ajudar pais e mães e enfrentar essa dificuldade e recuperar os nossos jovens, dando oportunidades; estamos também investindo em prevenção e ampliando com firmeza o trabalho em nossas escolas, pois o poder público precisa fazer a parte dele", ponderou hoje (22) o prefeito Leonaldo Paranhos sobre o Programa Vida Nova, durante a assinatura dos primeiros convênios com comunidades terapêuticas.

As entidades cumpriram as etapas do chamamento público para prestar o serviço. Duas delas, a Renascer e o Molivi, são de Cascavel atenderão exclusivamente homens; já a Dom Bosco, de Campo Mourão, atende mulheres. Todas poderão receber pacientes a partir de segunda-feira (25). "Iniciaremos com 80 vagas. Nosso objetivo é ampliar para 150 ainda este ano. O chamamento antigo do Município era de 15 vagas apenas", detalhou a secretária de Política sobre Drogas e Proteção à Comunidade, Rose Vascelai.

O tratamento que será custeado pelo Município, por meio da Semppro, pode variar de 6 a 12 meses, beneficiando pessoas com idade entre 18 e 65 anos. "É um tratamento com o dependente, mas que inclui a família, por isso viabilizado por meio do SIM-PR, onde já temos o protocolo de avaliação do perfil do paciente que precisa do internamento e o acompanhamento dos familiares. Em alguns casos, a melhor indicação é o tratamento aberto e inclusão da família e outros o internamento. No SIM-PR podemos fazer a indicação conforme a realidade de cada caso", detalhou a coordenadora do SIM-PR, Maria Vilma.

Fluxo do atendimento
Programa de recuperação do dependente, o Vida Nova seguirá um fluxo de atendimento que começa na Unidade Básica de Saúde, onde o paciente será avaliado por médico, a partir daí, o seguinte fluxo:

- Os serviços encaminharão o caso para o SIM-PR por meio de Guia de Referência e Contrarreferência da saúde e ficha Intersetorial de Referência e Contrarreferência da Rede de Atenção e Proteção Social.

- SIM-PR avalia e autoriza o caso para Comunidade Terapêutica, solicitando a vaga no Programa Vida Nova para a Semppro.

- A Semppro é responsável pela regulação de vagas e pelo cadastro do programa de recuperação do dependente (Cartão Vida Nova).

- Nas intercorrências clínicas, em se tratando de urgências, a Comunidade Terapêutica acionará o Samu; havendo necessidade, este encaminhará o paciente para a UPA.

- Se necessária a internação psiquiátrica, a UPA encaminhará o caso para o Setor de Internamento por meio de URL.

- Em intercorrências clínicas de não urgência o paciente deverá ser encaminhado para avaliação na UBS\USF. Em ambos os casos o paciente deverá retornar para a Comunidade Terapêutica.

 "A tarefa de proteger e melhorar a saúde mental da população é complexa e envolve múltiplas decisões. O aumento do consumo de drogas, envolvendo todas as faixas etárias e classes sociais, tem sido uma constante preocupação de todo a administração municipal", enfatiza Rose Vascelai. De acordo com ela, percebe-se que é cada vez maior o número de pessoas envolvidas com o uso ou abuso de substâncias psicoativas e que necessitam, em última instância, afastar-se do meio que naquele momento não é favorável, utilizando-se do recurso de acolhimento em Comunidade Terapêutica ou internamento para desintoxicação. "E o acolhido vai receber o cartão, por meio do qual vai constar a identificação que gerará o cadastro para que possamos acompanhar a evolução dentro do programa", detalha a secretária.

Comunidades terapêuticas
A Comunidade Terapêutica é um serviço que tem como objetivo garantir a assistência a pessoas que se encontram em situação de risco pessoal em decorrência do uso e/ou abuso de substâncias psicoativas, bem como o atendimento aos familiares, visando à recuperação e à reinserção dessas na sociedade.

É caracterizada como serviço de interesse da saúde, de Atenção Residencial Transitória que oferece cuidados a pessoas com quadro clínico estável, que pelo grau de envolvimento com o uso e/ou abuso de substâncias psicoativas necessitam de atenção em regime intensivo, por meio do acolhimento quando os recursos em meio aberto já foram esgotados, necessitando afastar-se temporariamente do meio em que vivem.

"Agora temos este suporte do poder público, que dá esperança de reinserção à pessoa em recuperação, pois muitas vezes ela recai por falta de opções no mundo externo. Com suporte da sociedade ela pode ter condições de buscar um encaminhamento, uma vaga de emprego, uma ocupação e uma nova oportunidade de recomeço", enfatizou a psicóloga da Comunidade Renascer, Mayara Schenkel de Castro.

Via: Redação/Portal do Município de Cascavel - Foto: Divulgação 

Envie para o nosso Whatsapp a sua sugestão de fotos ou videos, que a equipe nossa irá atender você. (45) 9.8812-8476 ou Entre no nosso grupo do WhatsApp: https://goo.gl/WjuzHP.

Postar um comentário:

Tecnologia do Blogger.