Doações de sangue tornam-se mais necessárias na época de férias

A cada grupo de mil brasileiros, somente 16 são doadores de sangue – o equivalente a 1,6% da população. São pessoas como Marisa Rejane Burghausen, auditora do Ministério Público do Paraná, que, há dez anos, mantém a tradição de doar sangue e a ajudar a salvar vidas. Neste período do ano, esse tipo de atitude se torna ainda mais necessário, já que, em função das férias, muita gente deixa de fazer suas doações regulares e os estoques dos bancos de sangue costumam baixar.

Em Curitiba, a redução média é de um terço, de acordo com Liana Andrade Labres de Souza, chefe da divisão de Hematologia e Hemoterapia do Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná (Hemepar), instituição responsável pela coleta, armazenamento, processamento e distribuição de sangue para todas as regiões do estado. “Nos outros meses, recebemos, em média, 120 doadores por dia. Entre o final de dezembro e o início de fevereiro, esse número cai para aproximadamente 80, ou seja, um terço.”

A queda é atribuída à correria de fim de ano e ao fator esquecimento, já que, diante do período de festas e descanso, muitas pessoas acabam se ocupando de outras coisas consideradas mais urgentes ou relaxando e não lembram de praticar esse ato humanitário. “Para piorar a situação, a demanda por sangue costuma aumentar neste período do ano, em função da elevação no número de acidentes”, acrescenta Liana.

Para evitar a falta de sangue, o recomendável é que os doadores assíduos programem suas visitas aos bancos de sangue para antes do início do período das férias. Também é um bom momento para que quem nunca doou comece a fazer isso, até porque encontrará os bancos mais vazios e terá maior facilidade para fazer a doação.

Doadora e incentivadora – Além de doadora assídua, a auditora Marisa Rejane Burghausen já esteve do outro lado: “Tive uma hemorragia muito grande, fui internada e precisei de reposição de sangue. Acabei recebendo de volta tudo que já ajudei”, conta. No período das festas de fim de ano, o incentivo ao comparecimento aos postos de coleta entre os conhecidos torna-se parte da rotina de Marisa. “Procuro sempre conversar com meus colegas na época da campanha, estimulo, faço propaganda no setor, pergunto para o pessoal que tem possibilidade de doar”, explica.

Cada bolsa de sangue coletada pode ajudar a salvar a vida de até quatro pessoas. É possível realizar até quatro doações por ano, no caso dos homens, e três, no das mulheres – com intervalo de dois e três meses entre elas, respectivamente. Segundo informações do Hemepar, no momento os estoques se encontram dentro das metas estabelecidas – cerca de 16 mil bolsas de sangue são mantidas por mês na rede, que coleta de 800 a mil delas por dia.

Onde doar — Nas unidades do Hemepar, espalhadas pelo estado, as doações podem ser feitas de segunda a sexta-feira, nos períodos da manhã e da tarde. Para conferir o horário de atendimento de cada unidade, você pode clicar aqui.

Lembre-se: a sua doação salva vidas! Por isso, antes de sair de férias, contribua com os bancos de sangue pois, assim como Marisa, você também pode precisar.

Quais os requisitos para ser um doador?
* Ter entre 16 e 69 anos (menores de 18 devem ter autorização de ambos os pais para doação);

* Estar em boas condições de saúde;

* Estar pesando mais de 50 quilos;

* Estar alimentado (evite alimentação gordurosa);

* Estar com documento oficial com foto.

Quem não pode doar?
As restrições podem ser temporárias ou definitivas. Entre as principais restrições estão:

* Portadores de diabetes tipo I, II, com problemas vasculares ou insulinodependentes;

* Usuário de drogas injetáveis;

* Quem passou por transplante de órgãos;

* Quem teve câncer;

* Doentes cardíacos graves ou que passaram por cirurgia cardíaca;

* Pessoas com doenças infecciosas transmissíveis pelo sangue, como hepatites B e C, Aids e doença de Chagas e Sífilis.

Mitos sobre a doação
“Pessoas com tatuagem não podem doar.”
Na verdade, pessoas que fizeram tatuagem devem aguardar 12 meses para doar. Quem possuía piercing na boca ou em regiões genitais também devem aguardar 12 meses após sua retirada.

Vou ficar sem sangue?
Não. A quantidade de sangue é diferente de pessoa para pessoa, já que fatores como altura e peso, além do gênero, influenciam na quantidade, que chega, na fase adulta, entre 4 e 6 litros. Para doação, o volume coletado é de no máximo 495 ml. Esse sangue é rapidamente reposto pelo nosso organismo.

Via: Redação/Assessoria MPPR - Foto: Divulgaçaõ 

Envie para o nosso Whatsapp a sua sugestão de fotos ou videos, que a equipe nossa irá atender você. (45) 9.8812-8476 ou Entre no nosso grupo do WhatsApp: https://goo.gl/WjuzHP.

Postar um comentário:

Tecnologia do Blogger.