Parceria entre Itaipu e Prefeitura de Cascavel garante realização de Seminário Internacional de Prevenção ao Suicídio

"Um evento de valorização à vida". Assim foi classificado o Seminário Internacional de Promoção da Vida e Prevenção do Suicídio, realizado pelo Município de Cascavel em parceria com a Itaipu Binacional. O Evento reuniu no auditório o secretário Municipal de Saúde de Cascavel, Rubens Griep, Iara Agnes Bach da Costa, gerente da Divisão de Saúde Mental de Cascavel, Rute Lemes,  diretora de Saúde Mental de Toledo, Mirta Mendonza Bassini, do Ministério da Saúde Pública e Bem estar Social do Paraguai, Marianela Martinek, do Ministério da Saúde da Argentina e Fernando Pessoa de Albuquerque, do Ministério da Saúde do Brasil, além de gestores municipais, assistentes sociais, médicos e psicólogos de Cascavel e região.

O seminário, que faz parte do programa do Setembro Amarelo, mês dedicado à prevenção ao suicídio,  foi aberto com a palestra do Presidente do Núcleo de Apoio à Vida de Cascavel (Nanivel), Claudemir Desto, que falou sobre o CCV - Centro de Valorização da Vida e prevenção ao suicídio.

Para o secretário Rubens Griep, de acordo com os casos acompanhados pela saúde pública municipal, é possível afirmar que há uma tendência crescente em relação a estes registros. Esses dados, segundo ele, levam o Município a pensar em uma organização do sistema de saúde para identificar precocemente os sinais e trabalhar a prevenção e o tratamento mais adequado. Para ele, existem vários fatores que levam a esta atitude extrema e que varia da exclusão social e pobreza à falta de perspectivas de vida. "Cientes disso o Município e o Ministério da Saúde vão atuar na identificação precoce destes casos. Mas, a intervenção na teia social depende de políticas públicas amplas, na forma como estas pessoas levam a vida, na perspectiva de futuro delas para que a gente possa, assim, ter um controle efetivo", concluiu.

Iara Agnes, da Divisão de Saúde Mental da Sesau, disse evento tem como meta "sensibilizar os nossos profissionais e instrumentalizá-los para que possam ter condições de acolher e atender estas pessoas que buscam o atendimento pela atenção básica ou serviços intersetoriais disponibilizados pela Secretaria Municipal de Saúde".

Para dar atendimento à população, a Secretaria de Saúde atua no serviço saúde mental com a realização de palestras e "rodas de conversa" em escolas tanto na área urbana quanto na rural e unidades básicas de saúde. "Temos o Caps I, onde é atendido um grande número de crianças e adolescentes que se mutilam diariamente. Temos que evitar isso, com muita conversa e orientação nas escolas, em casa e nas redes sociais. Precisamos mobilizar toda a comunidade para que preste atenção aos casos converse com estas pessoas, deem atenção ao sofrimento delas. O que elas precisam é de um olhar mais amoroso", conclui.

Fernando Pessoa de Albuquerque, do Comitê Nacional de Prevenção do Suicídio do Ministério da Saúde, disse durante sua palestra que no Brasil, é maior o número de homens que morrem vítimas de suicídio em relação às mulheres. Isso ocorre segundo ele, porque os homens usam formas mais letais para tirar a própria vida. Ainda de acordo com ele, boletim feito pelo Ministério da Saúde no período de 2010 a 2017, apontou que é grande o número de idosos que comentem este ato. O índice supera os registros entre a população adulta. "A taxa de suicídio entre idosos é de oito a cada cem mil habitantes. Entre a população geral este índice é de cinco óbitos por cem mil habitantes, ou seja, um terço maior".

Paraguai e Argentina 
Já na Argentina, de acordo com Marianela Martinek, na província de Missiones, foi registrado um aumento nos casos entre os jovens, entre 14 e 25 anos, segundo dados de 2016. "Agora estamos trabalhando para atualizar estes dados para saber exatamente a faixa etária que mais acomete nossa população, pois cremos que esta idade pode ser de 14 a 35 anos, porque é a segunda causa-mortes nesta faixa etária, primeiro vêm os acidentes de trânsito", disse.

Mirta Mendonza Bassani, representante do Ministério da Saúde do Paraguai, disse que os casos de suicídio são verificados com maior frequência entre jovens de 20 a 24 anos e entre a população com idade entre 15 a 19 anos. Neste ultimo ano, o Paraguai tem registrado mais casos entre adultos , o que de acordo com ela isso não era tão comum. Ainda de acordo com Mirta, o suicídio se dá em qualquer classe social e atinge mais aos homens do que as mulheres. "Tendo em vista que a OMS (Organização Mundial da Saúde), aponta que 90% a 94% das pessoas que se suicidam tem transtorno mental, então uma das ações de nosso país é a ação de promoção de  saúde, hábitos saudáveis, oferecer serviços de atenção a saúde mental em todo país e o aumento no número de profissionais qualificados para atender estes casos."

À tarde as palestras foram com Dione Menz, da Universidade Federal do Paraná, sobre "Suicídio: precisamos falar sobre isso", e  Sabrina Stefanello, também da UFPR, sobre "Construindo redes para a Prevenção do Suicídio".

Via: Redação/Portal do Município de Cascavel - Foto: Divulgação/Secom

Envie para o nosso Whatsapp a sua sugestão de fotos ou videos, que a equipe nossa irá atender você. (45) 9.8812-8476 ou Entre no nosso grupo do WhatsApp: https://goo.gl/WjuzHP.

Postar um comentário:

Tecnologia do Blogger.